POLICIAIS E RELIGIOSOS FALAM SOBRE A GUERRA ÀS DROGAS

Drug Policy Alliance – Convenção 2009

Música original: Jesse Weiner
Bach interpretado por: Andrew Rangell

— As pessoas não esperam ver policiais e religiosos deste lado da discussão, mas, na realidade, somos uma reunião informal de policiais e religiosos. Religiosos e policiais todos concordando que devemos …falando sobre a guerra às drogas ensinar às pessoas a ficar longe das drogas.

Jack:
Qual a última vez que vocês tiveram notícia de uma busca ou uma apreensão ilegal em casos onde a polícia investigava um homicídio ou um estupro?

Isso são coisas que só acontecem naqueles crimes que chamamos de consensuais – crimes onde não deveríamos estar envolvidos, onde vocês é que deveriam se envolver.

Neill:
Religiosos têm a ver fundamentalmente com a paz e a harmonia no interior das comunidades onde vivemos, onde moramos.

Essa era também nossa missão original nas forças policiais.

Como agentes da paz, deveríamos estar atuando na comunidade para estabelecer a paz, mas infelizmente estamos lidando com uma política, uma lei, que não promove paz.

É exatamente o contrário: ela promove violência; promove conflito; promove disputas territoriais, na medida em que as pessoas procuram proteger sua fatia do mercado no comércio das drogas ilícitas.

Jack
E, não obstante todo esse dinheiro desperdiçado – e todas essas vidas que nós, policiais, juízes e promotores da LEAP, vemos ser perdidas – não obstante tudo isso, hoje, as drogas estão mais baratas, mais potentes e são mais facilmente acessíveis para nossas crianças.

Em todas as pesquisas oficiais feitas nos últimos dez anos, nossas crianças disseram que é mais fácil comprar drogas ilícitas do que comprar cerveja ou cigarros.

Isso é uma insanidade!

Pastor
O outro lado do que ele disse são os efeitos colaterais.

No Sul, com qualquer condenação, você não consegue trabalho.

Você perde seu direito de voto.

Não consegue moradia subsidiada pelo governo; a polícia nos pega se buscamos qualquer tipo de moradia subsidiada e isso é um peso para a polícia.

Você não consegue um empréstimo ou uma bolsa para estudar.

Não consegue uma licença para abrir um negócio.

Rabbi
E como isso ajudaria alguém a se reintegrar à sociedade e ser bem sucedido?

Neill
Não para os jovens.

Isso se torna mais um centro de doutrinação para as gangues.

Quando eles ingressam nessas prisões, se não pertencem a uma gangue, vão procurar um lugar seguro e, assim, se tornam membros de uma gangue.

É um centro de treinamento.

Pastor
Sim

Neill
Centros de treinamento para membros de gangues 24 horas por dia.

E o que eles vão fazer quando saírem da prisão?

Jack
Acredito que isso foi criado e ainda existe hoje muito mais em função do racismo do que de qualquer política de drogas.

Somente 13,5% de todas as pessoas envolvidas são negros.

E quem é pego? 37% de todas as pessoas pegas por violações a leis de drogas são negros.

E quem vai para a prisão? 60% dos internos em prisões estaduais por crimes relacionados a drogas são negros; 81% dos presos em instituições federais por violação a leis de drogas são negros.

81 por cento! E eles são apenas 13% do problema…

Um jovem casal que tenha um bebê negro do sexo masculino – isso foi há 5 anos; hoje é ainda pior – tem uma expectativa de um em três que essa criança vá passar algum tempo na prisão.

Um em três!

Se apenas mudássemos bebê negro do sexo masculino para bebê branco do sexo masculino, já teríamos posto fim à guerra às drogas há 30 anos, porque os poderosos não sustentariam isso.

Pastor
É isso mesmo.

É intencional.

Rabbi
É como se fosse o sucesso das leis de Jim Crow.

Depois da escravidão, temos Jim Crow; e depois de Jim Crow, temos milhões de pessoas na prisão.

Mesmo não havendo um racista ali, com uma túnica branca, dirigindo tudo isso…

É um racismo institucional.

Neill
Então, a coisa moral a fazer não seria trabalhar para mudar essas políticas, de modo que membros do clero; membros da comunidade; organizações de assistência social; irmãos, irmãs, tias, tios possam efetivamente se concentrar na tarefa de manter as pessoas longe das drogas; tomando decisões certas; ensinando os jovens a tomar decisões certas, em vez de ficarem tão oneradas e tão focalizadas na guerra às drogas?

Rabbi
A Bíblia é clara.

Não podemos ficar de braços cruzados enquanto nossos vizinhos sangram.

E é isso que fazemos quando permanecemos imobilizados diante de uma política destrutiva, permitimos que continue vigente, e não fazemos nada para mudá-la.

Assim, estamos cruzando os braços enquanto nossos vizinhos sangram.

Não estamos aqui para construir prisões.

Pastor
A Bíblia diz que cada semente produz outra de sua própria espécie.

Assim, uma pessoa produtiva não significa uma pessoa que tem um bom emprego, um belo carro, uma bela casa.

Um cidadão produtivo é uma pessoa que está produzindo cidadãos produtivos a partir daqueles que a sociedade considerou que não o eram.

É como o filho pródigo.

Seremos o pai, como policiais, ou religiosos, ou cidadãos produtivos, recebendo o filho pródigo de volta à casa, ou vamos agir como o irmão mais velho, como a sociedade que quer bani-lo?

Jack
Um dos maiores motores de nossas ações é o apelo da culpa.

Certamente, é isso que me move.

E essa culpa existe – para mim – porque perto de mil jovens foram para a cadeia como resultado direto do que eu fiz como um agente encoberto durante quatorze anos.

Mas, pensem nesses mil jovens.

Temos uma máxima na LEAP: você pode superar uma dependência, mas jamais conseguirá superar uma condenação, porque uma condenação o perseguirá cada dia do resto da sua vida.

Pensem em todas as pessoas que vocês conhecem pessoalmente que usaram uma droga ilícita quando jovens e depois deixaram isso para trás e prosseguiram em uma vida perfeitamente produtiva, feliz.

Você pode fazer isso se não for preso.

Rabbi
Assim que fizermos disso uma questão de saúde e não uma questão legal, poderemos encher centros de recuperação, ao invés de encher prisões.

Neill
É, pois, extremamente importante que trabalhemos juntos para mudar essa política, de modo que possamos retornar àquilo para o que ambos estamos aqui – levar paz às comunidades.

Pastor
Quando os legisladores, os políticos, os elaboradores de políticas olharem e virem um enorme cartaz diante de seus olhos; quando virem os “gafanhotos” que normalmente utilizam – os agentes da lei que vão contra o povo, que trazem a conta – os agentes da lei dizendo – não, nós não concordamos com essa conta…

Então, todos nós vindo juntos – os religiosos trazendo a moralidade da questão – eles não terão para onde correr.

Rabbi
É isso mesmo.

No que se refere aos direitos civis, no que se refere ao direito de voto, foram religiosos que lideraram a luta.

Mesmo quando olhamos para a proibição do álcool…  é interessante.

Religiosos foram parte do movimento para proibir o álcool, e religiosos foram parte do movimento para pôr fim à proibição.

Pastor
Nós permitiremos como religiosos convocar a todos para cobrir o abismo, ou diremos oh… é o governo… a Igreja… não podemos nos envolver.

Não; nós já nos envolvemos.

Rabbi
Exatamente

Pastor
Jesus se envolve.

Rabbi
Exatamente.

Jack
E essa coisa de policiais e religiosos é tão certa porque como policiais também somos pessoas religiosas.

Pastor
É isso mesmo.

Jack
Por que não deveríamos?

Rabbi
Religiosos são cidadãos respeitadores da lei!

Jack
É isso mesmo!

Então, por que não deveríamos ter isso?

Neill
Muitos policiais são ministros do clero.

Pastor
Nunca na minha vida, como ex-criminoso, pensei de ouvir um agente do departamento de narcóticos dizer isso.

Me parece incrível.

Antes de tudo, estar sentado aqui, com agentes da lei.

Desde que venho fazendo esse trabalho, há oito anos, já estive com juízes, mas nunca, nunca tinha ouvido falar de um agente do departamento de narcóticos se sentindo culpado por prender pessoas, ou se dando conta de que não deveria efetivamente prender pessoas, de que poderia ter providenciado algum tratamento para elas, ter procurado um rabino, um pastor, ou qualquer outra pessoa para ajudar a colocar suas vidas em ordem, mas porque você os prendeu, suas vidas se desbarataram.

Antes de tudo, quero agradecê-lo por isso.

Isso é algo que vou saudar pelo resto da minha vida, porque isso vai levar todos nós…, e se levarmos isso para todos que estão lá fora, eles efetivamente vão ouvir.

Se começarmos a usar o dinheiro que estão usando para essas políticas que nos privam de direitos civis, que nos privam de humanidade…

Se agirmos juntos, a segregação terá fim – parar de tentar colocar os agentes da lei contra o povo.

Se realmente fizermos isso; se ouvirmos e recebermos isso…

Então, poderemos mudar essas políticas.

E poderemos efetivamente ter a América…

Efetivamente, poderá ser uma América abençoada por Deus!
— Se usarmos esse dinheiro para criar programas que dão às pessoas esperança no futuro, ao invés de retirar-lhes todas as suas esperanças pela detenção e encarceramento… Vocês podem imaginar quão menos pessoas usariam drogas?

— Exatamente.

— É preciso que todos nós façamos isso, e eu agradeço a Deus por você tê-lo dito e por ser parte disto.

Saiba mais sobre nossa aliança entre policiais e religiosos info@leap.cc